Sábado, 10 de Setembro de 2011

e quando possas dá-me outro abraço

dá-me um abraço que seja forte
e me conforte a cada canto
não digas nada que nada é tanto
e eu não me importo.

dá-me um abraço fica por perto
neste aperto tão pouco espaço
não quero mais nada, só o silêncio
do teu abraço.

dá-me um abraço que me desperte
e me aperte sem me apertar
que eu já estou perto abre os teus braços
quando eu chegar.

é nesse abraço que eu descanso
esse espaço que me sossega
e quando possas dá-me outro abraço
só um não chega.

já me perdi sem rumo certo
já me venci pelo cansaço
e estando longe, estive tão perto
do teu abraço.

Miguel Gameiro

escrito por carlos henriques às 21:00

link do post | comentar
2 comentários:
De Maria Silva a 11 de Setembro de 2011 às 19:27
Há dores incuráveis, feridas que não saram, amores que nunca se esquecem.
Muitas vezes eu também grito "dá-me um abraço"... ninguém ouve porque estou só!
De MIGUXA a 23 de Setembro de 2011 às 20:50
Olá Carlos,

Este "abraço" é lindo...

Não tenho nada de semelhante mas deixo-te um xi-
bem apertado pleno de amizade

Saudades
Margarida

Comentar post

sentimentos sentidos

o autor

arquivos

Maio 2015

Fevereiro 2014

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011